andar com o pé eu voo

eloise de vylder

uma leitura

Julguei te amar, no escuro, quando disseste meu nome. Mas não foi o teu que veio à ponta da língua (que lera com avidez as entrelinhas dos teus lábios), e sim outros, com os quais eu já preenchera a mesma lacuna do verbo amar.  Tempo passado. A ilusão tardou a conclusão difícil de soletrar. Amor, não era. E no entanto e ainda, a escuridão sem-nome se demora.

Anúncios

No comments yet»

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: